09 maio 2016

Como é fazer intercâmbio depois dos 30 anos?

Hey folks, what's up? 

Hoje eu gostaria de falar sobre a vida de intercambista depois dos 30 anos.
Sei que a sociedade agrega, a essa faixa etária, estabilidade de vida, como um bom emprego, uma carreira engrenada, uma casa, um carro, um relacionamento sério, dentre outras coisas, mas isso não precisa ser um padrão morando em nosso país natal. Devemos encarar as situações da vida como aprendizados e troca de experiências, e não devemos nos limitar aos modelos fabricados pelo nosso tempo atual.

Em Dublin, conheci várias pessoas com 30 anos ou mais. Acredito que a média dos estudantes brasileiros que vão para lá está entre os final dos 20 anos e até mais (conheci um rapaz com mais de 50 anos que estava nessa se aventurando. Isso não significa que não existe estabilidade de vida. As pessoas trabalham e desenvolvem a carreira, ou trocam de profissão, se relacionam, têm suas próprias coisas. Tudo depende de como você vê a vida estável. Não se pode confundir ida no Brasil com estabilidade, não é mesmo? As pessoas estão apostando em novas experiências para o acréscimo da vida. Não é vergonha nenhuma nem algo "errado"  programar a viagem na idade em que estamos. Quando sonhamos, as coisas acontecem naturalmente. Só quem saiu do país e se apaixonou entende o que é a gana de continuar vivendo lá.

Uma moça comentou, no blog, que está sofrendo preconceito em relação ao intercâmbio, pois ela tem 37 anos e as pessoas estão criticando. Isso é uma tremendo falta de noção da vida. Só joga as pedras quem desconhece o que é viver assim, e o quanto de acréscimos que ganhamos na vida. 
A melhor idade para o intercâmbio começa aos 30 anos, quando já temos maturidade para discernir as coisas e autonomia para enfrentarmos as adversidades. Aos 30, a vida faz mais sentido e os sentimentos mudam para melhor, valorizamos outras coisas. Nossa vida não é mais a balada ou as festas. Temos necessidade de crescer mais e desenvolver. A parcimônia encontra espaço no nosso dia-a-dia...

Tudo que eu quero é viajar.
Não deixe seus sonhos serem apagados por ninguém. Imprima a bandeira do país e olhe para ela todos os dias, como quem rega uma sementinha até dar o fruto.

Deixo um texto que eu amei, do jornalista Daniel Bovolento, chamado "A pressão de conseguir tudo aos 20 e poucos anos".

http://www.casalsemvergonha.com.br/2016/05/10/a-pressao-de-conseguir-tudo-aos-20-e-poucos-anos/

Cheers!

Pin It

10 comentários

Lina Oliveira disse...

Deixemos as pessoas pensarem o que quiserem...Há quem se sinta velho aos 30, por isso pensa o mesmo dos outros. Eu, depois dos 50, é quando tenho curtido mais! Haja um espírito jovem e tudo é possível, carpe diem!

Carol Bianco disse...

Oi Lina, obrigada por seu comentário. É isso mesmo. As pessoas não tem noção das coisas e vem perturbar quem tem espírito pra frente e enfrenta o mundo. Pra mim, tudo fez sentido com os 30 anos. Como eu falei, a maioria das pessoas que conheci no intercâmbio tinham essa faixa etária para frente. Infelizmente, o Brasil é preconceituoso com certas coisas. Carpe diem para nós. Beijos

ஜღ ąℓεкรą๓ʠяą ണ¡cнεℓℓε ღஜ ºo ♥ Sιмplєรмєитє Fєlιz ♥ oº disse...

Pois, concordo com você Carol, o intercâmbio começa a partir dos 30. Fiz o meu dos 34 aos 36. Foram os melhores anos da minha vida. Aproveitei cada momento com a intensidade de toda minha alma. Aprendi muito, cresci mais como pessoa. Foi uma experiência super proveitosa pra mim, tanto na área acadêmia, quanto na área pessoal. conheci pessoas que levarei para toda a vida. E você minha amiga é uma delas. Foi nesse intercâmbio, que tive o previlégio de conhecer uma pessoa tão linda, meiga e sensível como você. E pode ter certeza que aprendi muito em tua companhia.

Mas, essa é uma das vantagens de ir ao intercâmbio com mais maturidade: "saber aproveitar cada momento, não como se fosse o último, mas como se fosse o início de um mundo de opções e oportunidades, e que nós podemos fazer e viver tudo, se assim acreditarmos."

Devemos ter visão de águia, que enxerga distante. Pois, devemos plantar no presente para colher no futuro.

Beijos no coração Carol :* :* :* :* tô amando ler teu Blog <3 <3

Carol Bianco disse...

Oi Ale, que saudades de vc tb. Com certeza nós fizemos o intercâmbio na melhor idade, com maturidade e noção de discernimento das coisas. Eu fico feliz porque o sol é pra todos e a nossa experiência foi incrível. Não digo que viramos amigas, mas irmãs, pois sei que o que criamos vai ser eterno e bem inesquecível. Agradeço a Deus pela oportunidade e por tudo o que aconteceu, até mesmo quando não pareceu tão bom. Ninguém deve perder a oportunidade,nos 30 é que a vida acontece. Amo muito Beijos, obrigada por me seguir.

Anônimo disse...

Ei Carol, lindona!! Intercâmbio depois dos 30 é muito bom, concordo plenamente. Minha vida mudou completamente depois do intercâmbio depois dos 30!! Não podia ser melhor. bjinhos e saudade Priscila

Carol Bianco disse...

Oi Pri, que saudade, obrigada por comentar aqui. É a melhor fase de nossas vidas. Beijos

Yasmin Graeml disse...

Nossa, adorei o texto. Fiz intercâmbio com 16 e realmente as vezes pensamos só na possibilidade de high school ou faculdade. Mas sempre tem possibilidades, legal saber a história de alguém que fez bem mais tarde! Beijos

Carol Bianco disse...

Oi Yasmin, obrigada por seu comentário. No meu caso, só tive contato com pessoas mais velhas, acho que isso influenciou muito na perspectiva que tive dos lugares. Mas tb tem pessoas com 16 anos que são maduras e têm coragem de fazer intercâmbio. Não é uma questão de idade, né? Eu era imatura e nem no avião queria entrar. Tudo aconteceu na hora certa. Beijinhos

Taissa (Tá Visita) disse...

Oi Carol! Também estou com 30 anos e posso afirmar que estou vivendo uma vida totalmente diferente de como eu imaginava que seria ao chegar a esta idade. É verdade que estou casada e muito feliz, mas abri mão da minha carreira para acompanhar meu marido e apoiar a carreira dele. Mas só ganhei com isso! Só quem vivencia a experiência de morar no exterior sabe o que estamos falando. Já aprendi muito mais em nossas viagens que na faculdade! Aos 30, sinto que a vida está apenas começando e ainda temos muito para viver e aprender! Beijos!!! Taissa

Carol Bianco disse...

Oi Taissa, obrigada por seu comentário. Sinto exatamente a mesma coisa que vc. A faculdade é só um suporte. A maturidade que tenho aos 30 anos não se compara com 10 anos atrás da minha vida. O intercâmbio fez esse amadurecimento acelerar e ganhei uma vida que não teria no Brasil. Agradeço a Deus por tudo que Ele me deu de presente. Obrigada por vir no meu cantinho. Beijos